A Pentax do meu pai

Fotos tiradas com uma PENTAX P30.

Quando eu encontrei uma velha Pentax p30 nas coisas do meu pai, começou minha paixão por fotografia analógica. Coincidentemente eu comecei a ter aulas de fotografia na faculdade: todo o processo tradicional – filme, revelação e tudo mais.

Não há nada de prático em fotografia analógica, o desafio começa na escolha do filme, do horário do dia, encontrar o momento certo de capturar uma imagem e ainda a espera da revelação do filme, escanear as imagens e analisar os resultados. Um pequeno erro pode significar repetir todo o processo, como também a descoberta de algo novo, diferente e revelador, que não imaginávamos no momento da captura.

Filme é poesia.

Rhelga Westin